Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Loucura de Ser Enfermeira... Mãe, Mulher, e Humana!!!

A Loucura de Ser Enfermeira... Mãe, Mulher, e Humana!!!

"Os enfermeiros portugueses não estão apenas onde não está mais ninguém. Eles estão, tantas vezes, onde ninguém quer estar"

http://revistacuida.ordemenfermeiros.pt/tanta-luz/

 

Ana Rita Cavaco

 

Bastonária da Ordem dos Enfermeiros

 
 
 

"Tanta Luz

 

Obrigada Catarina, Céu e António. Obrigada por transformarem o medo em esperança e o susto em tranquilidade. Não podia começar este editorial sem este profundo agradecimento. Dir-me-ão que não fazem mais do que aquilo que deve ser feito. Certo. Mas as estórias que contamos nesta edição obrigam a sociedade a refletir sobre o papel revolucionário do enfermeiro.

 

Por esta hora já deve haver por aí quem trema com a palavra. Revolucionário, sim. Conhecem maior revolução do que acender a luz numa vida mergulhada na escuridão? Os enfermeiros que vivem nestas páginas enterraram os estigmas. Já não há mais “sidoso”, “drogado” ou “maluquinho”. Existe gente a precisar de cuidados de saúde, conforto e segurança. Foi por isso que decidimos abordar estes temas logo na segunda edição na nova “Cuida”. Os enfermeiros portugueses não estão apenas onde não está mais ninguém. Eles estão, tantas vezes, onde ninguém quer estar. Não viram as costas, não julgam, não existe espaço para juízos de valor quando aquilo que juramos está jurado: “Defender a liberdade e a dignidade da pessoa humana”. É isto que peço todos os dias aos enfermeiros que tenho a honra de representar. É também isso que peço à sociedade, que olhe para os enfermeiros como pilares fundamentais da coesão social, instrumentos fundamentais no combate às desigualdades. A reportagem que fizemos mostra que são os enfermeiros quem dá o laço nas pontas soltas, nas franjas de uma sociedade que parece correr cada vez mais depressa.

Ao enfermeiro exige-se saber, dedicação, mas também responsabilidade e respeito pelo espaço do outro. Ser tudo isto, e muito mais, num país onde faltam 30 mil enfermeiros, é óbvio que tem um preço. Nesta edição apresentamos uma das facturas. Um estudo da Universidade do Minho concluiu que a esmagadora maioria dos profissionais trabalha sob stress. Mais: um quinto dos enfermeiros portugueses revela “exaustão profissional”. É urgente cuidar dos enfermeiros. É urgente cuidar de quem cuida."

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.